1997 foi o ano do The Verve


Quando você escuta a música Bitter Sweet Simphony do The Verve você pensa “que música boa”? Pois é, a gente também acha essa canção incrível. E não só ela, mas todo o álbum Urban Hymns do The Verve.

Aqui na VINIL BOX estamos com uma bela edição deste LP em mãos. Em setembro de 2017 foi lançada uma edição tripla em homenagem aos 20 anos do álbum. Mas a nossa é um pouco mais antiga, dupla, 180g e com encartes que dá vontade de enquadrar! O álbum traz 2 encartes lindões com fotos da banda e créditos do LP.

Considerado um dos melhores álbuns dos anos 90 e certamente de 1997, Urban Hymns revelou o lado mais fascinante do The Verve ao mundo. Camadas intensas de guitarras e a atmosfera viajante da banda, associadas à orquestras em composições intimistas deram ainda mais pulmão para o britpop na época. O resultado de toda essa força musical pode ser percebida principalmente nos singles “Lucky Man”, “Drugs don’t work” e “Sonnet”. Mas foi "Bitter Sweet Simphony" que ganhou mais destaque.

Urban Hymns reúne diversas músicas que poderiam figurar como #1. Tanto que diversos clipes foram exaustivamente tocado na MTV por mais de 3 anos seguidos. A banda só não chegou a emplacar nenhum lado B, feito que os amigos o Oasis faziam com facilidade.

A VINIL BOX reuniu 4 curiosidades que talvez você não imagine, veja só:

1) A última canção “Come On” tem backing vocals de Liam Gallagher do Oasis. Sim, é ele gritando “come on” nos últimos minutos desesperadamente ao fundo da música.

2) O designer da capa de “Urban Hymns” é Brian Cannon, o mesmo que cuidou das capas dos 3 maiores discos do Oasis “Definitety Maybe , “What’s the Story Morning Glory” e “Be Here Now”.

3) Escute bem os backing vocals de Bitter Sweet Simphony. Eles na verdade eram parte da base vocal original que Richard Ashcroft criou quando gravou uma demo caseira no violão e voz. Veja neste vídeo:

4) Os direitos de Bitter Sweet Simphony são creditados 100% aos Rolling Stones devido a uma gravação anterior e instrumental de “The Last Time”. O assunto é um tabu na indústria musical britânica até hoje. Muitos consideram injusto creditar 100% da música para os Stones, mas fato é que toda grana que esta música levantou vai direto pro empresário deles, o qual vendeu os direitos da música até pra comercial de TV.

A banda alcançou seu auge em 1997 com este álbum, mas foi ele também causador de tantas confusões que apenas 2 anos depois o The Verve chegaria ao fim.

Se você é daqueles que viveu os anos 90 intensamente, precisa deste LP na coleção. Back to 1997!

#theverve

ESCUTE NOSSAS PLAYLISTS

Posts Recentes